Artes



Quando se pratica a arte, buscamos desenvolver novas técnicas e reconhecimento pelo trabalho realizado, isso gera a satisfação pessoal. O estudo das obras de outros autores colaboram no processo da criação, abrindo caminhos para novas idéias. Porém, é difícil fugir de certos padrões impostos devida a aceitação do público. Criar algo que seja pessoalmente satisfatório, inovador e aceito por especialistas e leigos é uma tarefa difícil. Por outro lado, nem todo artista tem a intenção de propagar sua obra, ele busca apenas se expressar sem a intenção de ser reconhecido pela crítica ou lançar novas tendências. 


Eu, Jacky Simionato, me expresso através de sentimentos e experiências, organizando idéias em minhas obras. Muitas vezes esse processo é realizado para aliviar a mente de concepções pré-organizadas. Esse é um trabalho intuitivo, imediato usando a imaginação. Por vezes sinto-me descontrolada, urgente e perfeccionista ao extremo. 



Casualmente, falta-me paciência para dedicar o tempo suficiente a único trabalho. "Se uma obra é de desagrado do autor, não está preparada para ser levada ao público", essa é a filosofia que sigo quando pressinto que não me expressei completamente ou a obra não está suficientemente dentro dos meus critérios. Por outro lado, quando a criação me satisfaz, elaboro séries realizando obras com os mesmos padrões técnicos e estilos utilizados no primeiro feito. 


Em exposição pública minha arte tem sido apreciada constantemente por leigos, acadêmicos e outros artistas.  A crítica demonstra interesse pelas técnicas das composições, despertando curiosidade também por minha autoavaliação sobre as obras.  Outros autores me procuram solicitando auxilio ao estudar as técnicas. 



O fato de ser considerada uma artista que marcou a história das artes por qualquer motivo, não me interessa muito. É mais atrativo ter as artes dentro da minha história. Uso a arte para me expressar por motivos pessoais, sem esperar que a mesma seja aceita por outros, sejam amadores ou profissionais do meio. Em um mundo repleto de artistas, o reconhecimento da obra de uma vida inteira é consequência, podendo vir durante a existência ou após a morte.



 Para maiores informações, contate-me no jackysimionato@gmail.com


(Clique na foto para ampliar)
jacky simionato, thiago akira
jacky simionato, saulo gonntijo, thiago akira
jacky simionato,

 Desenhos feitos tecnicas variadas: grafite, caneta esferografica, caneta nanquin, lápis conté e lápis de cor.

JackySimionato, Desenho, Caneta, Lápis de cor, Saulo Gonntijo,  Artes Plasticas, Guignard

 Pinturas com tecnicas variadas

jacky simionato,  guignardjacky simionato,  guignard
jacky simionato,  guignard


Os desenhos da série "Circo" fizeram parte da minha primeira exposição que teve sua abertura no dia 06 de Outubro de 2012 na galeria Local Arte Tattoo localizada no bairro Floresta aqui em Belo Horizonte.




 A série "Circo" vai para sua segunda exposição que teve a abertura no dia 06 de abril de 2013 no Hall da Escola de Artes Guignard - Universidade Estadual de Minas Gerais no bairro Mangabeiras, Belo Horizonte.


Exposição do meu quadro mais texto sobre "Plotino - Ensaio sobre o Belo" no hall da 
Escola Guignard em Julho de 2013



 Na escuridão da noite um raio corta os céus e me faz refletir sobre a beleza da natureza. Por que as vezes diante de um espelho nos achamos feios? Na imensidão do universo a vida humana passa como um raio que corta os céus. Temos que consultar nossos corações toda vez que nos depararmos com um espelho e lembrar que fomos feitos a imagem e semelhança de Deus. Se o Criador nos fez á sua imagem e semelhança, nós somos belos. E não há porque duvidar desta verdade. O nosso corpo é belo, tudo em nós é belo e não podemos nos esquecer disto. Mas o que é belo?

Belo é algo que primeiro vemos com o coração e depois sentimos vontade de tocar. Muitas vezes aquilo que acho belo não é considerado belo pelas outras pessoas que estão ao meu redor. Quando estamos em paz com nosso coração, admiramos a beleza dos relâmpagos que atravessam os céus nos dias chuvosos mesmo sabendo dos perigos que eles representam. Estamos assim, vendo com os olhos e enxergando com a alma.




Exposição de formatura habilitação em Pintura Corporal na Faculdade de Artes Plásticas Guignard
Belo Horizonte, Dezembro de 2014 - Série: "Pecados Capitais"


Exposição de formatura habilitação em Desenho na Faculdade de Artes Plásticas Guignard
Belo Horizonte, Dezembro de 2014 - Série: "Entre riscos e rabiscos.. Ah o Circo!"
© imagem-logo